Paixão de Avião

Em um bloco, letras emboladas escritas durante um vôo de 10h de duração:

Rico quando viaja de avião fica com jetlag. Pobre quando viaja de avião fica com ressaca. 

Manolo, eu tô ficando bêbado. Meus dedos estão ficando ressecados. Não que isso seja importante. Na verdade, isso não muda nada (exceto a letra ruim e o sangue no papel).

Primeiro eu gostaria de agradecer a essa linda companhia aérea pela comida, pelos filminhos e pelo vinho, claro. Pelo vinho claro e pelo vinho tinto também. Tô levinho, levinho. Tem gente que bebe e fica levinho, tem gente que bebe e fica levado.

Eu fico os dois,

pois sou viado

#poemas

Falando em companhia aérea, estou no ar, e em ótima companhia. Já tava esperando um fedorento do meu lado, todos os assentos ainda vazios, o avião enchendo… Eis que surge ele, Deus, em forma de um homem muito do gostoso. E senta a um assento de distância. Só tem gente feia nesse vôo, e ele, tão lindo, logo na minha fileira. Não vou mentir: o avião ainda estava no chão e eu já estava imaginando ele se esticando na poltrona vazia entre nós e eu fazendo cafuné, sem ele pedir. Ele fica puto e eu sou expulso do avião. Volto à realidade. Tão perto, mas tão longe (mas ainda tão gostoso!)

Fecham-se as portas. Antes que eu possa perceber, chega uma vadia eslava, linda de morrer. Eu até vi ela entrando, vou dizer, mas me reservei a invejar o cabelo dela e nem dei muita bola. Agora, ela pede pra sentar no tal assento vazio entre eu e meu môzão (a essa altura ele já tinha apelido e eu nem tinha mais nojo da unha grande do dedão do pé dele – e que pézão…)

Divaguei…

A tal vadia tá de shortinho e decotão, mal sentou ao meu lado já esfregou aqueles peitos na minha cara e agora tá fazendo amizade com o Brian (óbvio que eu tô ouvindo a conversa, né?)

Tô na fileira dos lindos desse avião. Como visitante, não integrante, que fique claro. Quem bebeu fui eu, não os outros, portanto, continuo feiosinho.

Mudando de assunto, tem uma mulher de óculos escuros na fila do banheiro. São 23h da noite e estamos dentro de um avião: às vezes alguns de nós, seres humanos, não temos muita noção das coisas, né?

Nesse momento a escrita é interrompida pois a vermelhidão nos dedos havia se espalhado para os braços e pescoço. Estava começando uma reação alérgica. A dica que fica para um vôo tranquilo é bem simples: vinho + anti-alérgico. Dorme-se que nem um bebê. Um must!

Anúncios

Sobre Rafael

Roteirista | Videomaker | VJ | | Writer | Videomaker | VJ

Publicado em novembro 28, 2011, em RAFUCKO.TXT e marcado como , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: